pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

01.07.22
|
Investimento em energia deve crescer 8% em 2022, aponta estudo
Fonte: Energia Hoje - 27.06.2022
Rio de Janeiro - O investimento mundial em energia deve aumentar 8% e atingir U$S 2,4 trilhões em 2022, segundo o relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em ingês). A eficiência energética e a energia renovável incentivaram a alta nas despesas de capital no setor. No entanto, o estudo alerta que os índices são insuficientes para enfrentar a crise energética mundial.

Os gastos com energia limpa são divididos de maneira desigual no mercado, apenas a China e as economias avançadas conseguem realizar os investimentos. O World Energy Investment 2022 destacou que as regiões com elevados preços de combustíveis usam fontes fósseis, como o carvão, para garantir a segurança energética. De acordo com a pesquisa, o fornecimento do carvão aumentou 10% no ano passado em economias emergentes, como a Índia.

“A única solução duradoura é um aumento maciço no investimento para acelerar as transições de energia limpa. Esse tipo de investimento está aumentando, mas precisamos de um aumento muito mais rápido para aliviar a pressão sobre os consumidores dos altos preços dos combustíveis fósseis, tornar os sistemas de energia mais seguros e colocar o mundo no caminho certo para alcançar as metas climáticas”, explicou diretor executivo da IEA, Fatih Birol.

Desde 2020, o investimento de energia limpa registra um crescimento de 12% ao ano. É a maior alta registrada desde a assinatura do Acordo de Paris em 2015, quando as taxas aumentavam 2% ao ano. O apoio fiscal promovido pelos governo e o aumento das finanças sustentáveis, especialmente nas economias avançadas, sustentou os gatos em tecnologia renovável.

As redes, o armazenamento e as fontes renováveis representam mais de 80% do investimento total do setor de energia. Os gastos com energia solar fotovoltaica, baterias e veículos elétricos elevam as taxas consistentes com o alcance global de emissões líquidas zero até 2050.

O relatório mostrou que há um crescimento nos gastos com tecnologias emergentes, como hidrogênios de baixa emissão e baterias. A previsão é que o investimento em armazenamento de energia da bateria chegue a quase US$ 20 bilhões ainda este ano.

O financiamento de energias limpas em economias emergentes e em desenvolvimento, excluindo a China, registram os mesmos níveis de 2015. A falta de fundos públicos para recuperação sustentável e a ausência de estruturas políticas organizadas prejudicam a atividade econômica de tecnologias limpas. O IEA ressaltou que as iniciativas precisam aumentar, especialmente por instituições internacionais de desenvolvimento, com objetivo de diminuir as divergências regionais no investimento em transição energética.

Outro problema analisado no relatório é a guerra da Rússia e Ucrânia, que elevou os preços de energias para consumidores ao redor do globo. Outros países precisam compensar os déficits de exportação russo, como, por exemplo, desenvolvimento de novas infraestruturas de GNL para diversificar a oferta. O investimento em petróleo e gás natural permanece abaixo dos níveis de 2019, apesar do crescimento de 10% em relação ao ano passado.

De acordo com o documento, os gastos atuais com petróleo e gás natural são muito altos para um caminho alinhado à limitação do aquecimento global a 1,5°C. Além disso, não são o suficiente para satisfazer a demanda crescente, em um contexto em que governos seguem com as configurações de políticas e não cumprem suas promessas climáticas.

Apesar das consequências nas economias, os produtores de petróleo e gás natural conseguem um lucro sem precedentes. A receita global do setor deve saltar para US$ 4 trilhões em este ano, com a maior parte indo para os principais estados exportadores de petróleo e gás. O valor é mais que o dobro da média registrada há cinco anos, segundo o estudo.

O World Energy Investment 2022 registrou um aumento lento nas parcelas de gastos em energia limpa nas empresas de petróleo e gás natural. As grandes empresas europeias impulsionaram, principalmente, o investimento em fontes renováveis. No geral, o financiamento representa cerca de 5% das despesas de capital das empresas de petróleo e gás em todo o mundo, acima dos 1% registrados em 2019.

Os gastos com exploração em todo o mundo aumentaram 30% em 2021, com o aumento nos Estados Unidos, Canadá e América Latina. O cenário oferece uma perspectiva de oferta mais diversificada nos próximos anos.

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas