pixel
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Reportagens
Reportagens
voltar

Assunto: EDUCAÇÃO
12.05.22
|
Nova metodologia para o ensino da eficiência energética
Projeto educacional Procel nas Escolas passa por atualização e incluirá materiais para o ensino híbrido e plataforma digital para acesso de multiplicadores da iniciativa

Débora Anibolete, para o Procel Info
Rio de Janeiro - Com o propósito de contribuir para a disseminação de conhecimento sobre eficiência energética nas instituições de ensino brasileiras, a Eletrobras, por meio do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), promove, desde 1995, o projeto educacional Procel nas Escolas. A ação envolve a capacitação de educadores e a disponibilização gratuita de materiais para o desenvolvimento de atividades voltadas a essa temática em sala de aula. O projeto é realizado pelas concessionárias de energia que fazem a articulação com as redes de ensino públicas estaduais e municipais. Visando aprimorar a iniciativa e adequá-la ao cenário atual, o Procel está realizando a atualização da metodologia para alunos que cursem até os primeiros anos do Ensino Fundamental. Nessa nova etapa, serão contempladas mudanças enfrentadas pelas escolas nos últimos anos, como o ensino híbrido e a inclusão de recursos digitais na aprendizagem.

O projeto de reestruturação da abordagem do Procel nas Escolas foi contemplado no âmbito do 2º Plano de Aplicação de Recursos (PAR) do Procel. De acordo com a cordenadora do Procel Educação, Luciana Lopes Batista Vinagre, a mudança vai ao encontro da visão sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável apresentada pelo Global Action Program (GAP) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que destaca a importância da educação para o cumprimento da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). A reformulação destina-se ainda a adequar o conteúdo educativo ao novo contexto socioambiental.

“Aumentar a contribuição para o Programa de Ação Global é o objetivo superior da atualização do Procel nas Escolas. Além disso, a necessidade de atualizar informações e o surgimento, nos últimos anos, de novas concepções sobre questões ambientais, clima, aprendizagem, tecnologias e ciência do comportamento também trouxeram a mudança da compreensão sobre a educação energética praticada no Procel nas Escolas. Todos esses aspectos combinados tornaram imprescindível desenvolver uma nova proposta para a implementação da metodologia”, afirma Luciana.

Para viabilizar a proposta, que visa substituir a metodologia “A Natureza da Paisagem” por “Pense, Viva e Sinta a Energia que Está em Nós”, o Procel selecionou, por meio de licitação, o Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente (CIMA). A empresa está responsável pelo desenvolvimento do projeto, desde a reformulação da metodologia até a avaliação de resultados. A nova metodologia educacional desenvolvida pela empresa junto ao Procel será baseada no enfoque pedagógico denominado Design de Experiências, por meio do qual a construção do conhecimento é adaptada às características de cada indivíduo. O diretor do Cima, Marcos Didonet, explica que, nesse método, a educação é constantemente ressignificada, de acordo com a realidade social. Assim, a intenção é que o processo de aprendizagem ocorra de forma compartilhada e colaborativa.
A nova metodologia do Procel nas Escolas propiciará a vivência de experiências interativas que possam contribuir para o entendimento da eficiência energética tendo como foco melhorar as dimensões cognitivas, socioemocionais e comportamentais da aprendizagem para a proteção climática

"Um ponto diferencial da proposta é que ela foi idealizada dentro de um entendimento de aprendizagem não linear, em que cada educador poderá desenvolver a melhor forma de trabalhar os conteúdos com suas respectivas turmas, definindo quais serão as ferramentas e temas a serem abordados para cada grupo, de acordo com o embasamento teórico que o projeto disponibilizará”, esclarece Didonet.

A representante do Procel destaca que, do ponto de vista dos estudantes, a nova metodologia propiciará a vivência de experiências interativas que possam contribuir para o entendimento da eficiência energética tendo como foco melhorar as dimensões cognitivas, socioemocionais e comportamentais da aprendizagem para a proteção climática.

“Na prática, isso se traduz em uma metodologia com uma abordagem lúdica e narrativa, que aplica a investigação científica, onde a curiosidade das crianças é aproveitada e elas são incentivadas a desenvolver seu raciocínio. Os conteúdos serão apresentados em diversos formatos e formas de recursos educacionais, para a exploração e cocriação, desafiando os participantes a dizerem o que estão sentindo, pensando ou fazendo, tornando-se um processo de aprendizagem ativa. Com isso, espera-se que o resultado de aprendizagem seja não apenas a aquisição de conteúdos, mas a aprendizagem de habilidades transferíveis, como resolução de problemas, de conflitos e pensamento crítico, para ajudar as crianças e jovens a se tornarem cidadãos globais responsáveis”, complementa Luciana Vinagre.

Plataforma digital e inclusão da Educação Infantil são destaques da nova fase do projeto

Considerando as diferentes realidades das escolas do país e a crescente inclusão de recursos tecnológicos na educação, a reformulação do projeto está sendo planejada para o ensino híbrido. A intenção é contemplar instituições com maior ou menor infraestrutura, permitindo que os educadores possam customizar a metodologia de acordo com os recursos que tiverem disponíveis.

Outro diferencial do novo Procel nas Escolas é a criação de uma plataforma digital para acesso dos agentes que utilizam o programa. O ambiente virtual será utilizado tanto para a capacitação dos multiplicadores quanto para o acesso aos materiais didáticos. A ferramenta permitirá ainda que o Procel realize o monitoramento do impacto da iniciativa por meio dos dados de acesso dos usuários.

“Na plataforma, educadores, distribuidoras de energia, empresas do setor elétrico, assim como outros públicos interessados, podem aprender e compartilhar aprendizados, acessar os recursos educacionais e promover atividades educativas para o uso da energia. A arquitetura da plataforma é uma experiência diversificada, com um ambiente virtual de aprendizagem e outro para a disseminação de recursos educacionais. A proposta é que, por meio da aprendizagem continuada, os multiplicadores do projeto e novos públicos tenham um espaço digital para aprimorar mais o projeto e promover competências que permitem avançar na transição energética e na proteção climática. Tudo isso para alcançar o nosso grande objetivo de ampliar a educação para a eficiência energética no país ”, destaca a coordenadora do Procel Educação.

Esta etapa do projeto também terá como novidade a inclusão de recursos e atividades voltados para a Educação Infantil. O objetivo, segundo a representante do Procel, é contribuir com a orientação das gerações mais jovens para o consumo consciente de energia.

“Entendemos que todas as gerações devem ser preparadas com atitudes e valores para os desafios energéticos que estamos enfrentando. Segundo especialistas, muitos dos valores que priorizamos como adultos foram incutidos em nós durante a nossa infância. E a eficiência energética só pode ser alcançada se mudarmos nossos valores, não apenas por soluções tecnológicas, regulamentações ou incentivos financeiros. A inclusão da Educação Infantil pode ser considerada o investimento antecipado mais eficaz no potencial do Procel nas Escolas como parte da transição para um futuro mais sustentável”, avalia Luciana Vinagre.
Outro diferencial do novo Procel nas Escolas é a criação de uma plataforma digital para acesso dos agentes que utilizam o programa. O ambiente virtual será utilizado tanto para a capacitação dos multiplicadores quanto para o acesso aos materiais didáticos

Para estabelecer as diretrizes do projeto, o Procel realizou uma etapa de diagnóstico, que incluiu uma pesquisa qualitativa com educadores, para avaliar as necessidades dos parceiros. Após a conclusão das ações previstas para o estabelecimento desta fase do Procel nas Escolas, será realizado ainda um projeto-piloto com um grupo de educadores selecionados para avaliar a implementação da nova abordagem da iniciativa.

“Para o Procel, essa proposta é nova em muitos sentidos: um novo impulso para o protagonismo de educadores e estudantes, um novo sentido para informações, uma nova função para as emoções na eficiência energética. Não se trata somente de mais uma metodologia que oferece materiais educacionais digitais e sim uma proposta para repensar a educação para a eficiência energética em um tempo de crescente complexidade e incertezas”, destaca a representante do Procel.

Materiais didáticos estarão disponíveis para o público em 2023

O projeto de remodelação do Procel nas Escolas prevê, além da concepção da nova metodologia voltada para estudantes do Ensino Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental, a elaboração de um kit educativo, que conterá materiais físicos, como blocos coloridos e fantasias, e conteúdos virtuais, como animações, games e podcasts. O trabalho realizado pelo CIMA inclui ainda a criação de um ‘cardápio pedagógico’ no qual serão detalhadas as ferramentas disponíveis no programa, capacitação de educadores e equipes técnicas de concessionárias de energia, desenvolvimento do projeto-piloto de implantação do método, além das etapas de apresentação de resultados.

Além de acessar os conteúdos pela plataforma digital, os educadores também poderão realizar o download de parte dos materiais. O recurso foi pensado para facilitar a utilização dos produtos educativos mesmo em escolas que tenham dificuldade de acesso à internet.

“O kit será divido entre as categorias de customização Básica, Intermediária e Avançada com o objetivo de garantir que o processo de aprendizagem possa se adaptar às diferentes realidades das instituições de ensino do Brasil, bem como aos diferentes tetos de investimento que podem ser efetuados pelas concessionárias para a execução do programa”, esclarece o diretor do CIMA.

A execução do projeto começou no último mês de janeiro e tem previsão de finalização em julho de 2023. Após esse período, os materiais vão começar a ser apresentados para os públicos-alvo do Procel nas Escolas.
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas